Logotipo do Coral Divo Canto

O Coral Divo Canto é um coro misto amador, constituído por cerca de 40 elementos, sem qualquer limite etário que faz parte da Associação Cultural homónima.

A sua actividade começou a 2 de Abril de 2003, quando um grupo de alguns curiosos se reuniu para começar a ensaiar música coral, uma vertente musical na altura desconhecida para a grande maioria das pessoas do concelho. A 24 de Abril de 2004 surgiu pela primeira vez em concerto o então designado Coro Poliphonico da Casa do Povo de Penacova composto por cerca de 35 elementos, alguns dos quais se mantém até à actualidade. O seu primeiro Maestro foi Nuno António Campos.

Desde então o grupo tem vindo a crescer e conta com um repertório bastante eclético, do qual fazem parte, composições clássicas, contemporâneas, tradicionais portuguesas, sacras e profanas.

Decorria o ano de 2012 quando teve a sua primeira experiência internacional, tendo-se deslocado a Ponteareas a convite do coro local. Desde então participa regularmente em Concertos no país vizinho.

Em Maio de 2013 participou na 1ª Gala dos Bombeiros do distrito de Coimbra no Casino da Figueira da Foz, tendo-se deslocado ao mesmo local em Outubro do mesmo ano para gravar um DVD ao vivo, a convite do Coral David Sousa.

Já percorreu Portugal de Norte a Sul, nomeadamente com actuações em Faro, Tavira, Lisboa, Peniche, Leiria, Guimarães, Valença do Minho, Izeda, entre muitas outras.

Em 2014 apresentou a ópera “Orfeo ed Euridice” de C.W. Gluck.

Em 2015 de forma a continuar a sua progressão, constituiu-se como Associação Cultural.

Foi convidado para animar a celebração na 1ª Missa de Benção dos Capacetes dos Bombeiros Voluntários do Distrito de Coimbra, que teve lugar a 18 de Junho de 2016 na Sé Nova, em Coimbra, onde se juntaram mais de 300 bombeiros de todo o distrito.

Já em 2017 organizou o I Encontro Solidário de Penacova, no qual participaram a grande maioria dos grupos corais paroquiais do concelho, e o I Festival da Canção Divo Canto de Penacova.

O Coral Divo Canto tem feito um importante trabalho de sensibilização das pessoas do concelho de Penacova para a música coral, realizando frequentemente concertos em diferentes freguesias deste concelho.

Enquanto dinamizador cultural do concelho, organiza anualmente o Concerto do seu Aniversário, o Encontro de Coros de Penacova e um Concerto de Natal para os quais convida coros nacionais e estrangeiros.

O Coral Divo Canto já teve a oportunidade de trabalhar com várias direcções artísticas, nomeadamente com o Maestro Gonçalo Rocha e com o Prof. Celestino Maria Ortet.

É dirigido desde 2009 pelo Maestro Pedro André Rodrigues.

Junte-se a nós!

Ensaios às terças e sextas-feiras
no Centro Cultural de Penacova.

Maestro Pedro André Rodrigues

Foto do Maestro

Nascido a 21 de Janeiro de 1985, o Maestro Pedro André Rodrigues iniciou os seus estudos musicais com a idade de 7 anos com o Professor e Maestro Celestino Ortet. É sob orientação deste professor que adquire conhecimentos de formação musical, acústica, história da música, composição e piano.

Completou o 5º Grau de Formação Musical no Conservatório de Música de Coimbra (C.M.C.) com 14 anos e o 8º Grau quando decorria o ano de 2002 sempre como aluno externo.

No ano de 2002 ingressou no C.M.C. onde prosseguiu a sua formação na área de canto e de piano. Completou o 5.º Grau de Piano em 2005, como aluno da Professora Fernanda Casais. Estudou canto nesta instituição durante 6 anos, inicialmente sob orientação da Professora Maria José Nogueira e mais tarde com a Professora Isabel Melo e Silva.

Fez parte do Conselho Artístico da Estudantina Universitária de Coimbra, de 2006 a 2008, tendo participado em inúmeros eventos culturais, tanto na vertente artística como organizativa.

Concomitantemente com os estudos artísticos, completou em 2008 o Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas atribuído pela Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra.

Desempenhou funções de ensaiador de naipe, pianista e solista no Grupo Coral Magister da Mealhada de 2001 a 2007.

Dirigiu o Coro Litúrgico da Igreja de S. Pedro, em Faro, em 2009, aprofundando o seu conhecimento ao nível da música sacra e litúrgica.

É atualmente maestro do Coral Divo Canto e do Orfeão Polifónico de Mortágua.